Sunday, May 24, 2015

Psycho

Noite tépida no Salão Brazil onde se encontram três bandas que fazem parte da festa de apresentação do festival Kamalhão que se realiza em Julho em S. Silvestre: The Jack Shits, PSICOTRONICS e os Gost Hunt. The Jack Shits estão a debitar a sua agressividade garage ao ritmo de Jackie la Feline que é a baterista mais ecléctica de Coimbra a Capital do Rock, a sua rapidez assertiva faz esquecer Nick Shit. “Olá boa noite, somos os Jack Shits”, é a voz do franzino de tronco nu Diogo Shit na guitarra semi-distorcida que aliada à de Samuel Shit, perfazem um composto tóxico de tão abrasivo; “Bem-vindos ao warm up do Kamalhão”. A canção nova que apresentam é uma união entre um vampiro e uma prostituta de apartamentos nos subúrbios de Coimbra onde se satisfazem inglórios pénis.
Os PSICOTRONICS são uma referência para moda a indie, atentem à roupa de Marquis de Cha Cha: no rosto tem uns óculos escuros redondos sobredimensionados para o seu rosto moreno surgindo um ser descrito por Kafka, na cabeça uma cartola digna de um finalista ébrio nas noites da Queima das Fitas de Coimbra, enverga uma jaqueta de smoking que cai até aos joelhos nus em pernas depiladas, a pélvis é coberta por um body de cetim vermelho, é este o clown indie criado para afastar os maus espíritas. A relação entre as programações, a guitarra eléctrica de Victor Torpedo, a voz do Marquis de Cha Cha e o baixo de Pedro Calhau, sobrevém um groove por vezes tecno outras psico-tecno ou psico-rock-tecno, que exalam uma alegria contagiante que convida o parceiro ou a parceira a dançar sem preconceitos.
Por fim os Ghost Hunt-- dupla constituída por Pedro Chau e Pedro Oliveira este último está rodeado por teclados analógicos e o segundo toca baixo eléctrico-- que se apresentam pela segunda vez ao público. O domínio estilístico pertence aos teclados que inserem diversas camadas de som tecnológico que circularmente dominam a consciência do ouvinte, e que sub-repticiamente é profundamente alucinogénio e obviamente psicadélico; quando Pedro Oliveira adiciona a guitarra eléctrica aguda, substituiria facilmente os violinos de Bernard Herrman na cena do chuveiro em “Psycho” de Alfred Hitchcock. Perante este vulcão sónico não é de estranhar que o palco tenha sido invadido por diversos rockers que dançaram e entoaram cantares de amigo. Se se cruzarem com os Ghost Hunt não se dêem ao trabalho de colocar a alma no seguro, porque essa ficará definitivamente confiscada à realidade.

Warm up do Festival kamalhão com The Jack Shits, PSICOTRONICS, Ghost Hunt, 23 de Maio, Salão Brazil @ Coimbra