Sunday, May 14, 2017

Narco Periodismo. La prensa en medio del crimen y la denuncia

A noite está estranhamente sossegada algo que lhe incute uma presença monocromática, se o vento estivesse a vociferar em consonância com as ondas do mar estaria acompanhado por uma sonoridade familiar e naturalmente sentir-me-ia apaixonado pela mãe natureza, a sua inerente expectativa consigna-lhe o poder de outorgar-me um desprendimento momentâneo da realidade e ferir-me com um automatismo que institui um absurdo que é habitado por almas que rejeitaram a moldura de ossos que as aprisionava e as submetia à rotina de adormecer e despertar de sonhos erráticos; e nem a lua me absolve de ser um crónico pecador que foge para umas docas que fedem a gasóleo vertido por motores de traineiras carcomidas pelo salitre que parecem carcaças atoladas na areia de um deserto luminoso, símbolo do poder do homem sobre a demência de Neptuno do qual descendo e que me tornou o missionário de pés descalços que é um pedinte à luz do dia e à noite uma sombra que seduz as correntes marítimas a criarem a tempestade como uma obra de arte efémera que fustiga as rochas que estoicamente resistem ao atrito; e por cada passo percorro um desfiladeiro de armazéns e entro numa caverna de pé direito considerável que é socialmente conhecida como Direito de Resposta - Associação Cultural (DRAC) e que perfaz nove anos de actividade e durante os quais tem trazido inúmeras bandas ao seu palco; hoje estão anunciados os Grandfather`s House e Twin Transistors; estes correspondem a um guitarrista/voz e a um outro guitarrista, há um baixista e baterista e teclista/voz/pandeiretas, debitam uma distorção controlada mas repetitiva e por isso impenetrável, algo que coloca o espectador constantemente do lado de fora da sua narrativa cantada em inglês com sotaque americano mas que é inexpressiva incorrendo numa monotonia deveras entediante; as canções que se distinguem são as que têm direito a solo de guitarra e nas que subtraem parcialmente o garrote do stone rock e ou do desert rock mas estas são tão escassas que a recordação do concerto é o retrato de uma(s) estética(s) à qual não querem ou não conseguem polvilhar com novidade. Os Grandfather`s House são um trio que se divide por uma guitarra eléctrica/voz, bateria e teclado/voz, e revelam uma vontade de conquistar o público com as suas canções pop/rock que são delineadas segundo uma lógica em que impera o épico aspergido de uma tonalidade kitsch gótico, isto, é responsabilidade da cantora com um domínio considerável da sua voz e quando larga o Korg revela-se numa performer sublime; pena que algumas das canções estejam manchadas por um excesso de solos histéricos da guitarra eléctrica que as anulam e as ferem ao ponto de as alienar.

DRAC B`Day Party, 13 de Maio, Gala-Figueira da Foz